Busca e Apreensão de Moto

Comprar uma moto é o sonho de muitas pessoas, que recorrem aos financiamentos para poder realizá-lo, já que não é fácil juntar todo o valor necessário para comprar o bem à vista. Porém, a busca e apreensão de moto é um temor que circunda praticamente todas as pessoas que adquiriram o veículo.

São várias as discussões acerca desse assunto, mas um dos pontos mais importantes é saber que a busca e apreensão de moto realmente existe e que o devedor pode perdê-la caso não tome as devidas providências. Aprenda tudo sobre esse assunto e saiba como evitar esse problema.

Como Funciona a Busca e Apreensão de Moto?

Entre as várias cláusulas que compõem o contrato de financiamento de uma moto existe a de alienação fiduciária, que determina que a garantia desse financiamento seja o próprio bem, ou seja, a moto. Logo, caso haja algum atraso no pagamento da parcela, o banco ou agente financeiro podem apreender a moto e vendê-la para cobrir seu prejuízo.

Quem não entende tanto sobre a busca e apreensão de moto pode acreditar que essa é uma cláusula ilegal, mas não é assim que funciona. A existência dessa cláusula é autorizada pela lei e ela geralmente aparece em contratos de financiamento desse tipo, inclusive quando se trata de carros e caminhões, por exemplo.

Por isso, o mais recomendável é que o contratante do financiamento se empenhe ao máximo para não atrasar nenhuma parcela, já que essa é a forma mais segura e eficiente de evitar a busca e apreensão de moto.

Quando a Busca e Apreensão de Moto Passa a Ser Válida?

Existem algumas instituições financeiras que agem de má fé com os seus clientes, por intermédio de ligações com o intuito de desestabilizá-los emocionalmente e deixá-los apavorados em relação à busca e apreensão. Porém, isso não é correto, e é essencial entender como o processo realmente funciona.

Pela lei e de acordo com o contrato de financiamento, não existe um período predeterminado de atraso das parcelas para a ocorrência da busca e apreensão de moto. Via de regra, os bancos e instituições financeiras começam a dar andamento no processo apenas depois de 3 parcelas atrasadas, mas essa é apenas uma praxe do mercado.

Em tese, qualquer atraso, até mesmo de 1 dia, já dá margem para a busca e apreensão. Porém, como os custos são consideravelmente elevados para o ingresso dessa ação na justiça, então geralmente se espera por essas 3 parcelas, o que já se considera como um atraso mais relevante.

Ainda assim, a ação começa a correr apenas a partir do momento que é enviada uma notificação ao devedor. Com isso, ele tem 5 dias para pagar a dívida ou 15 dias para apresentar uma defesa por um advogado, cabendo a ele escolher por aquilo que for melhor.

Como o atraso pode ter sido causado por dificuldades financeiras, então dificilmente o devedor terá todo o valor devido. Por isso, o melhor a se fazer é apresentar uma defesa contra a busca e apreensão de veículos.

Como Evitar a Busca e Apreensão?

Um dos motivos que pode ter levado ao atraso no pagamento das parcelas e que é bastante comum no mercado é a presença de juros abusivos e taxas irregulares no contrato, o que dificulta ainda mais o pagamento e faz com que o temor pela busca e apreensão de moto cresça ainda mais.

A revisão de juros abusivos consiste em uma análise do contrato de financiamento, em busca de eventuais irregularidades e descumprimentos do que consta na lei. Caso tais abusos sejam encontrados, então as providências legais necessárias serão tomadas para o abatimento do valor pago a mais nas próximas parcelas ou, em alguns casos, o reembolso desse valor.

Porém, para que essa revisão traga bons resultados, é essencial contar com uma empresa que seja especializada no ramo, como a Novo Ideal Consultoria. Se você deseja evitar a busca e apreensão de moto a todo custo, entre em contato conosco agora mesmo: nossa equipe está à disposição para te ajudar a se livrar dessa situação. Não perca mais tempo!

OU

ESTAMOS AGUARDANDO VOCÊ PARA CONVERSAR

CONTATO

ENVIE SEUS DADOS E RETORNAREMOS PARA VOCÊ!

Simulação Gratuita